🚹 Agosto LilĂĄs: Uma Luta AlĂ©m das Palavras 🚹

🚹 Agosto LilĂĄs: Uma Luta AlĂ©m das Palavras 🚹

O mĂȘs de agosto, marcado pelo tom lilĂĄs, conscientiza sobre o combate Ă  violĂȘncia contra a mulher. Criada em alusĂŁo Ă  Lei Maria da Penha, que completa 17 anos em 2023, a campanha visa amparar mulheres vĂ­timas de diversas formas de violĂȘncia.

O Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Segurança PĂșblica (SSP), tem divulgado nĂșmeros positivos sobre a atuação da PolĂ­cia Civil no combate a essa violĂȘncia. No entanto, a eficĂĄcia do “Agosto LilĂĄs” Ă© questionĂĄvel devido aos contratempos enfrentados pelos policiais civis, como a falta de contingente e estrutura adequada.

A Lei Federal 14.188/2021, por exemplo, estabelece o afastamento imediato do agressor em casos de risco Ă  vĂ­tima. Contudo, na Delegacia de Atendimento a Grupos VulnerĂĄveis (DAGV) em Aracaju, a ausĂȘncia de salas de acolhimento faz com que vĂ­timas e agressores compartilhem o mesmo espaço, prejudicando o trabalho dos agentes e escrivĂŁes e causando constrangimento adicional Ă s vĂ­timas.

Essa falta de recursos e condiçÔes adequadas para os policiais civis e para a proteção das vítimas coloca em xeque a eficåcia das açÔes governamentais. Como a campanha pode ser efetiva se os recursos e o suporte necessårios não estão disponíveis? Como as mulheres podem se sentir seguras se os policiais civis estão limitados, desmotivados e insatisfeitos com suas condiçÔes de trabalho?

A verdadeira transformação ocorrerå quando houver um compromisso real com o fornecimento de recursos adequados e uma reestruturação da Polícia Civil. O Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE) continua sua luta diåria pela melhoria e valorização dos seus agentes e escrivães.

Medidas sugeridas para melhorias:

  • Aumento do contingente policial especializado em violĂȘncia domĂ©stica;
  • Fornecimento de equipamentos e materiais necessĂĄrios;
  • Atendimento especializado para as vĂ­timas;
  • Estrutura fĂ­sica que permita o acolhimento adequado das vĂ­timas, separado dos agressores.

DenĂșncias:

VĂ­timas e a sociedade devem comunicar casos de violĂȘncia Ă  polĂ­cia. Flagrantes devem ser comunicados Ă  PolĂ­cia Militar pelo 190 e crimes recorrentes ao Disque-DenĂșncia (181). As vĂ­timas tambĂ©m podem procurar as DAGVs ou qualquer delegacia em seu municĂ­pio.

 

Compartilhar Post