Em meio à pandemia do novo coronavírus, os servidores da Segurança Pública receberam uma boa notícia após a Câmara Federal acatar emendas e suspender a proibição de receberem aumentos, progressões e promoções no período de calamidade pública que se estenderá até dezembro deste ano.

O Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE) agradece a todos os deputados federais, em especial a Léo Motta (PSL/MG), que é policial civil, e Luis Miranda (DEM-DF), que trabalharam em defesa dos policiais civis para a não inclusão dos integrantes da Segurança Pública na suspensão de reajustes salariais de servidores por dois anos como pretendia o Projeto de Lei Complementar (PLC) 149/19, o chamado Plano Mansueto.

Com a medida, será possível que o Sinpol/SE dê continuidade à luta em prol de situações básicas na carreira e que nenhuma resposta ainda tiveram: reposição inflacionária, fusão dos cargos da base da Polícia Civil, redução do tempo que o policial demora a ser promovido na carreira, além de auxílio alimentação e auxílio saúde, que os demais profissionais da área recebem e os policiais civis não.

O texto segue para o Senado que pode modificar ou aprovar a proposta, depois cabe ao Governo Federal vetar ou não. Isso demonstra a importância de ter dentro do meio político uma pessoa que entende os anseios e problemas que afligem os profissionais de Segurança Pública, sobretudo policiais civis.