Entidades sindicais dialogaram na manhã desta quinta-feira (28), sobre o adicional de periculosidade para os policiais civis, policiais militares e bombeiros militares

Diretores do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE) participaram nesta quinta-feira (28), de audiência pública na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), a convite do deputado estadual Capitão Samuel, vice-presidente da Comissão de Segurança Pública. Na pauta, ouvir e debater as principais reivindicações da categoria, entre elas, o pagamento do adicional de periculosidade para policiais civis, policiais militares e bombeiros militares.

Acompanhado das lideranças das entidades sindicais que integram o Movimento Polícia Unida, entre elas, a Associação dos Delegados de Polícia de Sergipe (Adepol/SE) e associações que representam interesses de profissionais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, o presidente do Sinpol/SE, Adriano Bandeira, reafirmou a união pela pauta simples e justa que é o adicional de periculosidade para os profissionais da segurança pública que atuam na atividade dos profissionais de segurança e salvamento.

“Estamos aqui para reforçar a importância dessa pauta única que é o adicional de periculosidade. Sabemos que a decisão de pagamento acaba sendo do Chefe do Executivo, mas entendemos que aqui estão os representantes do povo, mostrando-se comprometidos com a nossa luta, em levar as nossas considerações para o governador Belivaldo Chagas. É importante destacar que diariamente temos homens e mulheres que se arriscam para proteger e servir a sociedade, e que estão aqui exigindo o mínimo, que são condições de trabalho mais dignas tanto na capital como no interior do Estado; como também a volta do pagamento do adicional de periculosidade, direito previsto na Constituição Federal e que nos foi retirado”, salientou Adriano Bandeira, presidente do Sinpol/SE.

Na ocasião, o vice-presidente da Comissão de Segurança Pública da Alese elogiou a união dos representantes das forças policiais em uma única pauta e se comprometeu em levar essas reivindicações do Movimento ao governador Belivaldo Chagas.

“Da mesma forma que convocamos os gestores e cobramos por uma melhor segurança da sociedade sergipana, também temos que dar espaço aqui nesta Casa para esses homens e mulheres que lutam por melhores condições de trabalho e também por valorização. Entendemos como justo o pleito, por isso ele foi discutido aqui, para que pudesse ser ouvido por outros parlamentares para que juntos possamos levar novamente essa reivindicação ao Governo do Estado. Inclusive, amanhã estarei com o governador e pedirei que ele apresente uma contraproposta à categoria. Quero também aproveitar para parabenizar todas as categorias por essa união. Saibam que eu tenho um lado, eu sou polícia, deputado eu estou, mas polícia eu sou”, enfatizou o deputado estadual Capitão Samuel.

Ao final do encontro, Adriano Bandeira agradeceu o convite feito pelo deputado Capitão Samuel e fez uma avaliação do ato ocorrido na Alese.

“Agradecemos inicialmente a oportunidade de trazer as nossas reivindicações para esta Casa. Uma audiência pública nada mais é do que ouvir o povo. Vemos como é difícil abrir uma audiência pública para ouvir os profissionais da segurança. Existe a dificuldade de ouvir o povo por meio daqueles que representam os profissionais da segurança pública. O estado de Sergipe voltou a figurar entre um dos mais perigosos do país. Há um ano e quatro meses enfrentamos uma enrolação para que nossos direitos sejam cumpridos e lamentamos isso. Trabalho com a questão da periculosidade de forma leal, entendo que quem trai seu companheiro também trai o povo, e nós fomos traídos pelo governador Belivaldo Chagas, que virou e continua virando as costas para nós da segurança pública”, reiterou o presidente do Sinpol/SE.

Apoio dos parlamentares

Os deputados estaduais presentes na mesa George Passos e João Marcelo Montarroyos expressaram apoio ao Movimento Polícia Unida. “Temos certeza que o povo quer que vocês recebam o adicional também, principalmente porque entendemos o perigo da atividade que vocês exercem. Não só eu, como outros colegas parlamentares reafirmamos apoio e comprometimento à luta do Movimento”, reafirmou o deputado George Passos.

Presentes na audiência

Participaram também da audiência pública o vice-presidente do Sinpol/SE, Ênio Nascimento; presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Sergipe (Adepol/SE), Isaque Cangussu; secretária-geral da Adepol/SE, Flávia Félix; presidente da Associação dos Oficiais Militares de Sergipe (Assomise), coronel Adriano Reis; presidente da Única, Cabo Will Guerreiro; diretor da Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Sergipe (Aspra/SE), Alex Silva; presidente da Associação dos Militares da Reserva Reformados de Sergipe (Asmirp/SE), sargento José Marcos Moraes; vice-presidente da Associação dos Militares do Estado de Sergipe (Amese), major Ildomário Gomes; presidente da Associação dos Militares da Reserva Reformados de Sergipe (Asmirp/SE), sargento José Marcos Moraes (Nêgo Lau); vice-presidente da Associação dos Militares da Reserva Reformados de Sergipe (Asmirp/SE), cabo Murilo; presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros de Sergipe (ACB/SE), Robson Santos; presidente da Associação Integrada das Mulheres da Segurança Pública em Sergipe (Asimusep), subtenente Elisângela, entre outros.

Adicional de periculosidade

O benefício é um direito de todo profissional que trabalha em situação que coloque sua vida em risco, não sendo entendido como bonificação, mas sim um adicional permitido pelas constituições Federal e Estadual. A atividade policial é totalmente exposta aos riscos.

Movimento Polícia Unida

O Movimento Polícia Unida é formado por nove entidades sindicais e representativas: Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE); Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Sergipe (Adepol/SE); Associação Militar Única; Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares do Estado de Sergipe (Aspra); Associação dos Oficiais Militares de Sergipe (Assomise); Associação Integrada de Mulheres da Segurança Pública em Sergipe (Asimusep); Associação dos Militares do Estado de Sergipe (Amese); Associação dos Militares da Reserva Remunerada e Pensionistas do Estado de Sergipe (Asmirp/SE); e Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros (ACS-SE).