Mulheres policiais civis reunidas em um momento feminino voltado para o autocuidado, bem-estar e qualidade de vida, em um dia repleto de atividades nas áreas de psicologia, aromaterapia, yoga e dança do ventre. Esse foi o resultado do I Encontro SuperA Mulher, evento promovido pela Polícia Civil, por meio da Academia de Polícia Civil (Acadepol), com a parceria do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE), na sexta-feira, 8 de março, Dia Internacional da Mulher.

Para a vice-presidente do Sinpol/SE, Robenilde Gonçalves, o objetivo maior do evento é a prevenção da saúde feminina. “Se os trabalhos na área policial fossem realizados sem a sensibilidade feminina, os resultados não seriam tão positivos. Tenho 31 anos de Polícia Civil e percorri um caminho bastante longo, com muitos desafios e dificuldades no início, justamente por ser um ambiente majoritariamente masculino. A parceria do nosso sindicato nesse evento mostra a preocupação com a saúde das nossas filiadas, por isso está em nosso planejamento a perspectiva de outras ações voltadas para as mulheres, valorizando a policial civil. Com isso, acreditamos que elas possam trabalhar com mais firmeza, profissionalismo, competência e e buscando um ambiente de paz”, destacou ao lado de Sandra Lis Batista, diretora de esporte e lazer do Sinpol/SE, que também participou das atividades ao longo do dia.

Segundo Eliene Silva de Olveira, filiada aposentada, o evento reforçou a preocupação do sindicato com as mulheres e sobretudo com os colegas que já se aposentaram. “Estou aposentada há quase dois anos e vi a iniciativa desse evento como muito positiva. Sou uma das primeiras mulheres a chegar na Polícia Civil de Sergipe e sei o quanto sofremos para ocupar espaços em uma instituição com tantos colegas homens. Hoje estou aposentada, mas já fiz parte do sindicato em outras gestões. Confesso que não via o sindicato tão atuante como está hoje. Esse evento foi maravilhoso e espero que essa iniciativa voltada para as mulheres se repita”, comentou.

Na opinião da filiada Viviany Gomes, policial civil que atua no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o evento foi uma oportunidade para a mulher olhar para si. “Como mulheres e policiais, nós cuidamos muito dos outros, prestamos um grande serviço à sociedade na Polícia Civil e acabamos esquecendo da gente. Sem esses momentos de autocuidado a gente pode adoecer, então é essencial que ocorram eventos desse tipo”, pontuou.

Adriano Bandeira, presidente do Sinpol/SE, participou da abertura do Encontro, reforçando o compromisso que o sindicato tem com o público feminino filiado. “Reconhecemos a importância da mulher policial civil filiada em todas as atividades que desempenham na Polícia Civil, seja no âmbito administrativo ou operacional. Sindicato é sinônimo de luta por melhorias para a categoria que representa, mas também é cuidado e proteção aos nossos filiados”, finalizou.